<img height="1" width="1" style="display:none;" alt="" src="https://dc.ads.linkedin.com/collect/?pid=33098&amp;fmt=gif">

Na Quarta Revolução Industrial o que Muda Tudo é a ATITUDE

Na Quarta Revolução.jpg

A Quarta Revolução Industrial já começou e não nos demos conta ainda de como o mundo já mudou. A inteligência cognitiva, os “robots” que compreendem a fala natural em diversos idiomas, a Internet das Coisas (IoT) e a integração entre os sistemas digitais, físicos e biológicos, vão produzir modificações tais, que não saberemos ao certo, se estaremos lidando com sistemas artificiais ou naturais.

As empresas continuam buscando, cada vez mais, a modernização na forma como comercializam seus produtos e serviços, começando a colocar o ser humano como fator de diferenciação.

A Quarta Revolução Industrial não mudará as coisas que estamos fazendo, mas mudará a nós mesmos. Teremos um novo renascimento existencial, fundamentado pelo nosso relacionamento com a vida, com o planeta, com o trabalho e com o nosso próximo.

Na condição de participantes do mundo tecnológico e afetados diretamente pelas rápidas mudanças, o que a Altitude, sua organização global, seus produtos, serviços e principalmente seus colaboradores, devem buscar fazer daqui em diante?

A primeira resposta que vem a nossa mente, é estarmos abertos ao novo e termos a coragem de empreender, transformar, inovar e principalmente, conhecermos tudo o que será base do mundo moderno. Afinal, como disse Peter Drucker: “A melhor maneira de prever o futuro é criá-lo”.

 

Neste sentido e contando com anos de experiência trabalhando no mercado mundial de Contact Center, estamos trabalhando ativamente, para oferecer aos nossos clientes e parceiros, alguns itens que estão fazendo parte da agenda de todos os executivos deste setor, visando o olhar do futuro:

  1. Confiança naqueles que definirão o que vai acontecer com sua empresa: os clientes. O crescimento ou o desaparecimento de uma empresa estará intimamente ligado ao tipo de experiência vivenciada com os clientes. E as necessidades e solicitações tem mudado constantemente, exigindo um olhar atento de todos os setores da empresa.
  2. A experiência do cliente é a soma de todas as interações que ele realiza durante todo o seu ciclo de vida. Esta relação evolui e muda constantemente, e compreende itens como:
    • conscientização das mudanças, do avanço tecnológico e da forma como as empresas fazem negócio
    • adquire forma, sentido, consistência através de cada nova informação e de todas as interações;
    • é definida pela aquisição, utilização e feedback de seus produtos e serviços;
    • é reforçada através do cultivo da relação de fidelidade e defesa da marca.
    • compartilhamento de experiências vivenciadas no trato da empresa junto às redes sociais
    • o trabalho diário de todos os funcionários da empresa deve estar dedicado a garantir o interesse e a satisfação do cliente em cada contato, cada interação. Cada interação do cliente é importante individualmente e, todas juntas, são decisivas para o sucesso da empresa.
    • Os clientes não veem os departamentos da empresa, como se fossem coisas separadas ou descentralizadas: eles veem a empresa completa, a marca como um todo.
  3. Descobrir meios de flexibilizar o negócio, oferecendo ao ambiente de Contact Center:
    • Formas eficientes e seguras de permitir que os agentes possam trabalhar de qualquer lugar, em qualquer tempo, totalmente transparente aos supervisores, que continuam monitorando e gerenciando as atividades diárias.
    • Abertura para inovação, com o incremento de novas facilidades e soluções, de forma simples e rápida, inclusive que possibilite a desistência dos recursos contratados, caso não atendam a expectativa
    • Redução de custos, a partir da desnecessidade de alocação dos recursos de pessoas e de TI, treinamento e atualizações constantes
    • Abertura para novas ações sociais, permitindo que portadores de necessidades especiais, possam trabalhar de casa, sem necessidade de se deslocar ao ambiente de trabalho
    • Manter os produtos atualizados dentro das normas e leis definidas para cada país
    • Trabalhar com padrões de mercado abertos que permitam fácil integração com múltiplas plataformas
Mas em complemento a esta visão e participação no mercado mundial, a Altitude tem consciência de que o principal será a nossa própria mudança: deixarmos de lado o “homo tecnologicus” e construirmos o “homem psi”, que se renova a cada dia, enfrenta os desafios com disposição, não tem medo de seguir por novos caminhos, que conversa com toda a organização, que lidera sua equipe, oferece o exemplo, que propõe e não impõe, que ouve os seus comandados e líderes, que dialoga e não discute, que compreende e aprende, que respeita e ama, colocando sua energia e motivação, a serviço de seus objetivos profissionais e de crescimento pessoal.

 

Nós somos os autores e os atores de nossas próprias vidas. Sendo assim, a cada dia, construímos nossa estória.

Não é uma tarefa fácil e nem simples. Mas será no franco compartilhamento de experiências,  nos sentimentos nobres e na arte de relacionar-se, que paulatinamente construiremos um novo cenário no mundo, conquistando o sentimento de dever cumprido e com muito mais felicidade.

Vamos a luta?

Compartilhar:
   



Mais lidos

Subscribe to Email Updates